terça-feira, 16 de outubro de 2018

Vínculo Empresarial e turma de Administração da ETEC promovem debate sobre o futuro das profissões

A palestra "Alcance o extraordinário através da sua gestão pessoal", apresentada por Any Santos da Vínculo Empresarial Contabilidade para a turma de Administração da ETEC foi realizada no dia 11 de outubro na Semana Técnica. A palestrante falou como as dificuldades sociais e de aprendizado podem afetar a vida das pessoas e de que forma podem ser superadas através da gestão pessoal e um plano de vida. Logo após a palestra o professor Waldiney Teodozio da Silva, Coordenador do curso, promoveu um debate entre os alunos e os profissionais da Vínculo Empresarial à respeito da escolha da profissão, mercado de trabalho, e de que forma a tecnologia digital e a informação estão impactando no futuro das profissões e como os profissionais devem se preparar para esse novo desafio.


A Vínculo Empresarial Contabilidade esteve presente na Semana Técnica da ETEC


quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Palestra sobre Gestão Financeira reuniu empresários de Itapecerica e região

A palestra realizada no último dia 24, pela Vínculo Empresarial Contabilidade, sobre Gestão Financeira para pequenas e médias empresas reuniu empresários de diversos seguimentos de Itapecerica da Serra, Taboão, Embu Guaçu, Cotia e São Paulo entre eles o empresário e vereador de Taboão da Serra Cido da Yá Farma que parabenizou a Vínculo pela iniciativa “Quero parabenizar a Vínculo Empresarial pela iniciativa de trazer um tema tão importante para os seus clientes, demonstrando um grande diferencial na sua gestão, em especial nos momentos de crise, uma palestra riquíssima que nos direciona para uma gestão mais eficiente”.
Segundo o CEO Raphael Lourenço o projeto de apresentação de palestras tem como principal objetivo ajudar no desenvolvimento dessas empresas e com isso diminuir a taxa de mortalidade comum nos pequenos e médios negócios, que na maioria das vezes  não se desenvolvem por falta de conhecimento administrativo dos seus fundadores.  
A palestra  de Gestão Financeira foi ministrada pela Gestora Financeira Any Santos que abordou aspectos como planejamento, controle e análise financeira e trabalhou ferramentas como Fluxo de Caixa, cálculo de preço de venda, margem de contribuição e ponto de equilíbrio financeiro.
Para Gleisiane Gonçalves empresária da Tech Informática de Embu Guaçu a palestra serviu para abrir os seus olhos e mostrar o que ela estava fazendo corretamente e o que precisa melhorar na sua empresa "Sempre achei que Gestão Financeira fosse algo intuitivo, que qualquer um podia fazer. Durante a palestra ouvi termos que eu não conhecia como margem de contribuição e ponto de equilíbrio que significam muito dentro da Gestão Financeira e que se não aplicados podem deixar a minha empresa na corda bamba ou em risco de falência. Percebi que apesar de controlar, faltava analisar e planejar. A palestra abriu os meus olhos. A Vínculo Empresarial está de parabéns por nos ajudar à melhorar sempre."
Segundo Gison Soares da Gfarma Drogaria de Itapecerica da Serra a Palestra foi muito dinâmica embora abordasse um tema sério. "Fui testado, fui premiado, ouvi as coisas por um angulo diferente do que já estava acostumado à ouvir. Aprendi muito".
Como a palestra de Gestão Financeira teve uma procura muito grande por parte dos empresários a Vínculo Empresarial Contabilidade irá repeti-la no dia 27.09.2018 às 09:30 hs da manhã. As inscrições podem ser realizadas pelo telefone (11) 4566-1256 ou no endereço eletrônico Palestra Gestão Financeira .

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Os 3 mandamentos da Gestão Financeira


Abrir uma empresa tem sido a opção de muitos brasileiros pelas mais diversas razões: Empreendedorismo nato; sonho de ter o próprio negócio; opção por não encontrar recolocação no mercado; oportunidade de negócio e muitas outras razões.
Mas o que observamos nas diversas pesquisas feitas sobre a sobrevida destas empresas é que uma grande parcela delas não sobrevivem no mercado principalmente por falta de gestão financeira.
Muitos empreendedores acreditam que a gestão financeira se resume a controlar o que entra e sai do banco e do caixa da sua empresa, e que o quê sobra no fim do mês é o seu lucro.
E dessa forma vão levando até chegar no momento em que as contas não fecham e então começam à antecipar cartões, pedir empréstimos e usar o limite do banco como capital de giro.
Mas o que é mesmo a Gestão Financeira? Gestão financeira é um conjunto de ações e procedimentos que visam maximizar os resultados econômicos e financeiros, prever situações de fluxos e minimizar os seus efeitos. Podemos resumir dizendo que para fazer uma boa Gestão Financeira você precisa seguir três mandamentos que irão se alternar num ciclo após o outro:


Planejar: É o primeiro mandamento deste ciclo para se fazer uma boa gestão financeira. O planejamento inicial pode ser feito através da prospecção caso esteja iniciando a empresa, ou com base no que aconteceu até o momento se a sua empresa já está em funcionamento e você está iniciando o planejamento a partir de agora. No planejamento você irá coletar ou prospectar as informações necessárias para montar o plano orçamentário da sua empresa que pode ser de um mês, três, seis meses ou um ano. Para quem está iniciando agora aconselhamos fazer de ciclo menores de no máximo três meses.

Controlar: O controle deve ser iniciado logo após a conclusão do planejamento e deve ser constante, pois é partir dele que você irá saber se o que planejou está se realizando de acordo com as metas traçadas.

Avaliar: A partir dos resultados demonstrados nos relatórios de controle a avaliação é primordial para traçar novas metas e replanejar em cima de resultados que podem demonstrar tanto o que pode ser aprimorado e corrigido quanto o que não deve ser feito no futuro.

Planejar, controlar e avaliar deve ser um ciclo constante na Gestão financeira, pois depois da avaliação sempre começa um novo ciclo com novas metas corrigindo ou aprimorando o ciclo anterior.


terça-feira, 10 de julho de 2018

Receita libera 2° lote do Imposto de Renda 2018


Foi liberado hoje, pela Receita Federal o 2° lote da Restituição do Imposto de Renda 2018. Confira aqui se a sua restituição saiu. Consulta Restituição IR 2018.



Palestra sobre o E-Social alerta sobre a obrigatoriedade para as PME'S



No dia 15 de Junho a Vínculo Empresarial Contabilidade, preocupada em informar os seus clientes sobre o E-Social, realizou mais uma Palestra  que abordou as mudanças de hábitos que devem ser adotados pelas PME'S - Pequenas e Médias Empresas que terão que implantar o E-social à partir do mês de julho.

Segundo a palestrante, Glícia Soares a maioria das pequenas empresas ainda desconhecem a obrigatoriedade e precisam mudar a forma como vem tratando os assuntos trabalhistas ao longo dos anos. “As pequenas e médias empresas estão acostumadas a não dar muita importância aos prazos e as exigências da legislação, porque até o momento não existia uma fiscalização efetiva nessas empresas por terem um número irrisório de demandas judiciais e por terem poucos funcionários, mas agora com o E-Social a fiscalização passa à ser real e estará sendo feita praticamente de forma automática pelo sistema. Desta forma o mais importante é que essas empresas revisem os seus processos e mudem os seus hábitos para atenderem o E-Social. Essa palestra é o primeiro passo para que isso aconteça com os nossos clientes." Afirmou ela.

O E-Social um projeto do governo federal, instituído pelo Decreto nº 8.373, de 11 de dezembro de 2014, que tem por objetivo desenvolver um sistema de coleta de informações trabalhistas, previdenciárias e tributárias, armazenando-as em um Ambiente Nacional Virtual, a fim de possibilitar aos órgãos participantes do projeto, na medida da pertinência temática de cada um, a utilização de tais informações para fins trabalhistas, previdenciários, fiscais e para a apuração de tributos e da contribuição para o FGTS. O e-Social estabelece a forma com que passam a ser prestadas as informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais relativas à contratação e utilização de mão de obra onerosa, com ou sem vínculo empregatício, e de produção rural. Portanto, não se trata de uma nova obrigação tributária acessória, mas uma nova forma de cumprir obrigações trabalhistas, previdenciárias e tributárias já existentes. Com isso, ele não altera as legislações específicas de cada área, mas apenas cria uma forma única e mais simplificada de atendê-las. 

Estão obrigados a implantarem o E-social todo aquele que contratar prestador de serviço, pessoa física ou jurídica, e possua alguma obrigação trabalhista, previdenciária ou tributária.






quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Porque as microempresas são as que menos sobrevivem no mercado?



Segundo dados divulgados em última pesquisa realizada pelo Sebrae, 45% das microempresas morrem em até dois anos após a sua abertura.  Entre os principais motivos apontados estão a alta carga tributária, a crise econômica do país que diminuiu o poder de compra dos consumidores, o endividamento já na fase inicial do negócio e a inexperiência em gestão dos donos dos pequenos negócios. 

Na pesquisa foram apontados como fatores de mortalidade e sobrevivência a situação antes da abertura da empresa.

- Tipo de ocupação do empresário (Desempregado)
- Experiência no ramo (Pouca experiência no ramo)
- Motivação para abrir o negócio (Necessidade ou exigência do cliente/fornecedor)
- Planejamento do negócio (Tiveram pouco tempo para planejar o negócio)
- Gestão do negócio (Não conseguiram negociar com fornecedores, obter empréstimos bancários, não capacitaram a sua mão de obra e não tiveram controle de receitas e despesas)
- Capacitação dos donos em gestão empresarial (Não investiram na sua própria capacitação para aprender a gerir o próprio negócio)

Na mesma pesquisa eles apontam uma taxa bem menor para as empresas enquadradas no MEI, com uma mortalidade de apenas 13%, o que nos leva à crer que o fato da carga tributária ser bem menor e a maioria dos negócios já existirem anteriormente na informalidade, ajudaram essas empresas à terem uma chance maior de sobrevivência.

No caso das EPP's - com uma taxa de mortalidade de apenas 2%, apontamos o inverso do que acontecem nas ME's porque essas empresas nascem de uma oportunidade de negócio e não de uma necessidade, geralmente os seus gestores já possuem experiência na área, possuem acesso à capitais de terceiros, fazem o planejamento, buscam qualificar a sua equipe, inovar nos produtos e serviços e se capacitar para gerir o negócio.



Fonte: Sebrae